JPEG - 18.9 kb

E o que se faz, hoje, com o MST, acusado de ter propagado, a partir de seus assentamentos, a febre aftosa. Uma revista semanal chegou ao requinte perverso de estampar na capa a foto de João Pedro Stédile produzida de modo a evocar o diabo...

O Partido Comunista tinha sólida organização no Brasil. Muitos de seus dirigentes viviam na clandestinidade, mantidos pela máquina partidária. Dizia-se que os recursos provinham do "ouro de Moscou". Eu nunca soube que, na capital russa, houvesse minas de ouro. E acho fantasioso imaginar um militante capaz de viajar da Rússia ao Brasil trazendo na bagagem barras de ouro. Ou será que o ouro vinha em pó, escondido dentro de tubos de pasta dental?

As contribuições dos militantes sustentavam o Partido Comunista. Lembro que Marighella recebia todo apoio, inclusive financeiro, de um rico pecuarista baiano, simpático à causa revolucionária. O partido contava com a adesão de pessoas de posse, de profissionais bem remunerados por seu trabalho, como o cientista Samuel Pessoa e o arquiteto Oscar Niemeyer. Não havia necessidade do ouroduto ligando a Praça Vermelha à Praça Quinze, no Rio.

O dinheiro recolhido pelo partido era imediatamente pulverizado entre inúmeros microempresários: barbeiros, motoristas de táxi, açougueiros, padeiros etc. Há pouco um velho militante me contou que, com freqüência, ia a uma lanchonete da Barra Funda, em São Paulo, cujo dono lhe entregava o salário do partido.

Agora, na onda de denuncismo que assola o país, fala-se em dólares de Cuba. Teriam eles aportado no Brasil em duas caixas de uísque Johnnie Walker e uma de rum Havana Club. Por que não em caixas de charutos, com notas enroladinhas dentro de robustos Cohiba? E o que fazia o uísque preferido de Lampião nessa história? Sim, Lampião era um bandoleiro requintado. Exímio costureiro, carregava uma Singer portátil, lia revistas especializadas em cinema e adorava dançar.

A direita brasileira é pobre em imaginação. Para dar o golpe militar de 1964, deu uma de Dom Quixote, que via exércitos em rebanhos de carneiros e castelos em moinhos de vento. Aqui, os golpistas identificaram a ameaça comunista no governo João Goulart e chegaram a cassar, como subversivos, JK e Carlos Lacerda... Agora, incomodada com as pesquisas que continuam dando vantagem ao presidente Lula nas eleições de 2006, tenta-se atingi-lo através dos dólares de Cuba.

Bons tempos em que o jornalismo evitava divulgar denúncias infundadas! Hoje, pauta-se primeiro a denúncia, buscam-se dois ou três dispostos a corroborá-la, publica-se e fica o denunciado com o ônus de provar sua inocência. É a inversão total dos princípios do Direito, segundo os quais cabe ao denunciante o ônus da prova.

Cuba é socialista mas não é burra. Prova disso é que a sua revolução resiste há 46 anos e 20 diretores da CIA. Por isso, ela tanto assusta o imaginário dos setores de direita. Preso em São Paulo, no início da década de 1970, eu recebia livros de familiares e confrades, submetidos ao crivo da censura do Presídio Tiradentes. De certa feita retiveram um intitulado "O cubismo". Alegou o diretor do cárcere estar proibida a entrada de livros sobre Cuba...

Os dólares de Cuba provêm dos EUA. Sobretudo dos charutos que a elite americana compra no mercado negro. Ou alguém imagina um senador em Washington ou um ator de Hollywood degustando folhas produzidas na Jamaica ou na República Dominicana? Chegam também dos cubanos que residem na Flórida e remetem, por ano, mais de US$ 1 bilhão aos cofres da Ilha. Com esse dinheiro, Cuba assegura a toda a sua população - 11 milhões de habitantes - uma cesta básica familiar por mês, e saúde e educação inteiramente gratuitas. Aliás, elogiadas pelo papa João Paulo II quando de sua visita ao único país socialista do Ocidente, em 1998.

Agora só falta dizer que o PT fraudou as urnas eletrônicas em 2002 para eleger Lula.

Adital