O Presidente da República bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que pesquisadores acabam de desenvolver um medicamento capaz de tratar a Covid-19. Ele indicou que o seu país ia fabricá-lo e torná-lo acessível às populações dos países aliados, membros da Alba.

Ao fazê-lo, ele ironizou sobre as práticas capitalistas das empresas de vacinas e apresentou esse medicamento como um presente de Deus.

Se a cautela nunca é demais, a solução para a epidemia só pode ser descoberta por meio de debate.

A transnacional YouTube (Google), seguida pelas transnacionais Facebook e Twitter, retiram actualmente todas as mensagens relativas a este medicamento, o Carvativir, no entanto aprovado pelas autoridades sanitárias e farmacológicas venezuelanas. Elas consideram que o Presidente Nicolas Maduro propaga uma falsa esperanças e faz os doentes correr um grave risco. A menos que estas transnacionais tenham mais interesse em defender a estratégia das empresas de vacinas do que o tratamento dos doentes.

O Carvativir seria um produto natural ao mesmo tempo anticoagulante e anti-vírico.

Tradução
Alva