Têm sido tratados 485 mil 476 pacientes, e deles mais de 290 mil são venezuelanos, através do programa criado por Cuba, muito apoiado por Venezuela, e qualificado pelo diário Granma de tamanha campanha de ótimo conteúdo social e humanitário.

O diàrio clarifica que, no início, as cirurgias foram realizadas nos hospitais cubanos,mas no intuito de alargarem os benefícios à maioria dos necessitados, se implementaram unidades noutros países,sempre sob o assessoramento da Ilha.

Desse jeito, hoje na Venezuela funcionam 13 centros oftalmológicos com 28 postas quirúrgicas para realizarem cirurgias, bem como outras instalações similares que oferecem serviços no Equador, na Guatemala, no Haiti, em Honduras e na Bolívia.

O diàrio assinala que é bom sabermos que um em cada 87 venezuelanos têm sido tratados,bem como um em cada 213 bolivianos e em cada 60 habitantes da Antiga Barbuda.

O caráter solidário que marca à Alternativa Bolivariana para as Américas (ALBA) no ramo da saúde pública é demonstrada aliás, com a existência de inúmeros pontos móveis de estomatologia nas zonas pobres da Venezuela, que faz parte do programa Bairro Adentro, com a participação dos especialistas cubanos.

Em simultâneo, 31 mil jovens desse país estudam medicina nos 8 mil centros de atendimento primário que funcionam nessas áreas, locais onde milhares de médicos cubanos, junto a outros venezuelanos, tratam a população.

Fonte
Agence Cubaine de Nouvelles

Agência Cubana de Notícias