Rede Voltaire
Assuntos

Comunicação

O que esconde o discurso contra os «conspiracionistas»
O Estado contra a República
Thierry Meyssan
O Estado contra a República Damasco (Síria) | 9 de Março de 2015
A pedido do presidente François Hollande, o Partido Socialista Francês acaba de publicar uma Nota sobre o movimento internacional «conspiracionista». O seu objetivo: preparar uma nova legislação proibindo-o de se expressar. Nos EUA, o golpe de Estado de 11 de setembro de 2001 permitiu estabelecer um «estado de emergência permanente» (Patriot Act), e o lançamento de uma série de guerras imperiais. Progressivamente, as elites europeias têm-se alinhado com os seus homólogos do outro lado do Atlântico. Por todo o lado, os cidadãos inquietam-se por serem abandonados pelos seus Estados e colocam em questão as suas instituições. Buscando manter-se no poder as elites estão, agora, prontas a utilizar a força para amordaçar as suas oposições.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sarin de quem?
Seymour M. Hersh
Sarin de quem? Nova lorque (Estados Unidos) | 16 de Fevereiro de 2014
Em Agosto-Setembro de 2013, Barack Obama, François Hollande e David Cameron acusavam a Síria de ter massacrado 1 400 opositores na periferia de Damasco. Denunciando a ultrapassagem de uma linha vermelha, eles anunciaram a prepararação de uma expedição punitiva contra o regime criminoso. Pouco depois Londres retirou-se, depois Washington, e no final Paris. Retomando a análise destes eventos, Seymour Hersh mostra que o presidente Obama ignorava tudo acerca do que realmente se tinha passado, que ele navegava ao sabor do vento, e que mentiu quando pretendia deter provas da culpabilidade da Síria.
Este artigo excepcional foi encomendado pelo (jornal-ndT) New Yorker, que o recusou, depois apresentado ao Washington Post que o recusou, para ser finalmente publicado no Reino Unido pela London Review of (...)