Rede Voltaire

Identificação das crianças mortas em Ghouta

| Damasco (Síria)
+

Na sequência da difusão das imagens, distribuídas pelo Exército sírio livre e retomadas pelos serviços secretos norte-americanos e franceses, do massacre de Ghouta, as famílias alauítas de Lattaquié apresentaram queixa por assassínio.

Alguns destes vídeos foram rodados, e depois postados no YouTube, antes mesmo do acontecimento a que se referem [1].

Pode-se observar neles crianças a sufocar com uma intoxicação química que é diferente da do gaz sarin (este gaz provoca emissão de baba amarela e não branca).

As crianças não correspondem a uma amostragem da população : elas são quase todas da mesma idade e têm cabelos claros. Também não estão acompanhadas pelos familiares em luto.

Trata-se com efeito de crianças raptadas pelos jihadistas, duas semanas antes, nas aldeias alauítas nos arredores de Lattaquié, à 200 kms de Ghouta.

Contrariamente às afirmações do Exército sírio livre e aos serviços secretos ocidentais, as únicas vítimas identificadas do massacre de Ghouta são, pois, originárias de famílias apoiantes do governo sírio. As pessoas que posam nos vídeos gritando de indignação pelos « crimes de Bachar el-Assad » são na realidade os seus assassinos.

[1] “A propósito dos vídeos do massacre de 21 de Agosto”, Traduction Alva, Rede Voltaire, 31 de Agosto de 2013.

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.