Rede Voltaire

A China envia uma importante ajuda humanitária aos Sírios

+

A República Popular da China acaba de fornecer uma ajuda humanitária significativa à Síria. Trata-se, ao mesmo tempo, de produtos destinados à população no país e a outros Sírios refugiados no Líbano.

Pequim era um importante parceiro do complexo militar-industrial sírio durante o mandato de Hafez al-Assad, nomeadamente em matéria de mísseis Scud.

Se a China se manteve fora das operações militares durante a agressão à Síria, deixando a sua defesa aos cuidados da Rússia e do Irão, ela enviou, no entanto, inúmeros instrutores para o manejo de certas armas.

Em 2013, verificou-se que os jiadistas usaram gás de cloro contra o Exército Árabe Sírio e que este provinha da China North Industries (Norinco). Os Serviços de Inteligência chineses descobriram o desvio do seu cloro pelos seus homólogos ocidentais afim de que pudessem acusar Damasco de utilizar armas químicas.

No decurso dos últimos meses, muitos homens de negócio chineses vieram a Damasco avaliar o seu possível investimento na reconstrução do país.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.