Rede Voltaire

A Índia junta-se a 3 outras potências capazes de destruir um satélite

+

O Primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, apresentou dramaticamente em um discurso televisionado, em 27 de março de 2019 (ou seja, durante a campanha eleitoral), os resultados positivos do teste da Defense Research and Development Organização (Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa- ndT) (DRDO): Missão Shakti (Força).

Um míssil indiano conseguiu destruir um de seus próprios satélites (o Microsat-R, pesando 740 kg), a 280 km de altitude.

- Em 2007, a China foi a primeira potência a destruir um dos seus satélites (o Fengyun 1C) a 800 km de altitude.
- Em 2008, os Estados Unidos faziam o mesmo com um satélite (o USA-193), mas somente a 240 quilômetros de altitude.
- A Rússia não testou seu próprio sistema de destruição de satélites, o Nudol.

O teste indiano teria criado 6.500 pedaços de detritos, de mais de 5 mm, no espaço. Eles se dispersaram a uma velocidade de 9,8 km/s, colocando em risco o tráfego civil ao redor da Terra.

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.

O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (2/3)
O Curdistão, imaginado pelo colonialismo francês
Thierry Meyssan
A genealogia da questão curda
Tudo o que vos escondem sobre a operação turca «Fonte de Paz» (1/3)
A genealogia da questão curda
Thierry Meyssan
A NATO por trás do ataque turco à Síria
A NATO por trás do ataque turco à Síria
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
O F-35 na agenda secreta de Pompeo em Roma
«A Arte da Guerra»
O F-35 na agenda secreta de Pompeo em Roma
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
O 70º Aniversário da República Popular da China: A Anulação da História
«A arte da guerra»
O 70º Aniversário da República Popular da China: A Anulação da História
Manlio Dinucci, Rede Voltaire
 
Alexandrópolis, a nova base USA contra a Rússia
«A arte da guerra»
Alexandrópolis, a nova base USA contra a Rússia
Manlio Dinucci, Rede Voltaire