A presidência búlgara foi alvo de buscas por ordem do Primeiro-Ministro, Boiko Borissov (à esquerda na foto), em 9 de Julho de 2020.

Uma multidão veio imediatamente para a rua a fim de apoiar o Presidente Roumen Radev (à direita na foto) face ao Primeiro-Ministro, e ao Ministério Público, acusando-o de instrumentalizar a justiça.

Em 11 de Julho, o Presidente pediu a demissão do governo do qual denunciou o «carácter mafioso.

Há já quatro anos, Thierry Meyssan denunciava as actuações de Boïko Borissov no seio da máfia búlgara e o seu papel na fabrico de Captagon, uma droga de síntese, para fornecimento da CIA e dos jiadistas islâmicos [1].Este artigo fora desmentido sem argumentos pela UE e pela OTAN. Acontecerá, agora, o mesmo face às declarações do Presidente Radev?

Tradução
Alva

[1] “Como a Bulgária forneceu drogas e armas à Al-Qaida e ao Daesh”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 4 de Janeiro de 2016.