Rede Voltaire

As armas da «Guerra das Estrelas» já cá estão

Para tentar retomar o seu domínio, os Estados Unidos relançaram a corrida aos armamentos, nomeadamente a «Guerra das Estrelas». Os Estados Unidos dispõem já do míssil SM-3 Bloco 1b, a Rússia, por sua vez, dota-se do vaivém (ônibus-br) não tripulado M-55.

| Bucareste (Roménia)
+
JPEG - 30.7 kb

A Roscosmos publicou um desenho do protótipo do vaivém (ônibus-br) russo reutilizável e não tripulado. O drone é lançado a partir de um avião M-55 à altitude máxima de 21.830 m. Após o seu lançamento, o vaivém espacial inicia o sistema de propulsão. Este sistema é o passo para o posicionamento pelo satélite geoestacionário; ele chama-se Breeze M.

Este vaivém suborbital não é uma novidade. Durante o período de 1959-1968, o avião norte-americano X-15 bateu o recorde de velocidade de 7. 258 km/h (Mach 6,7) e a altitude de 107 960 m. O motor do X-15 funcionou durante 150 segundos, enquanto o Breeze M já funcionou durante 3. 200 segundos e pode ser desactivado e reiniciado. Além do motor de propulsão (14D30), o complexo Breeze dispõe igualmente de 12 pequenos motores de orientação e de 4 propulsores de reorientação que permitem manobras no espaço.

Qual é a missão deste drone aeroespacial?

A altitude máxima e o raio de acção dos drones da aeroespacial russa são quase idênticos aos dos mísseis anti-balísticos norte-americanos SM-3 Block 1b. É por isso que acho que as suas missões são as mesmas. Lembre-mo-nos do período imediatamente após a colocação de mísseis nucleares na Europa e do lançamento da «Guerra das Estrelas» pela Administração Reagan. A URSS tinha, então, concebido a estação orbital Naryad V, colocada em órbita com o foguete UR-100. A estação era na realidade um sistema Breeze M, armado com mísseis guiados ar-ar.

A Naryad V recebeu, a partir do solo, ordem para modificar os parâmetros orbitais, de aproximação e destruição dos satélites orbitando à altitude de 40. 000 km. Sendo a prioridade dada aos satélites de comunicação militar dos EUA, utilizados para espiar (espionar-br) as redes de comunicações terrestres, navais, aéreas, e também de alerta em caso de lançamento de mísseis balísticos pela União Soviética. Uma outra missão da estação orbital Naryad era a destruição dos mísseis balísticos norte-americanos já lançados.

O drone aeroespacial suborbital russo é uma estação Naryad V que cumpre a sua missão sem ter que orbitar à volta da Terra. Para detectar e seguir os mísseis balísticos e os satélites em orbita baixa, os drones russos devem ser equipados com um sistema óptico infravermelho de alta resolução (Sapsan) e de um telémetro-laser para determinar a distância que os separa alvo. O sistema Sapsan está montado nos aviões russos. Os mísseis ar-ar K-74M (izdeliye 750) podem ser lançados a partir das extremidades das asas. No espaço, estes mísseis não encontram nenhuma resistência e podem atingir um alvo situado a 40.000 km.

Tradução
Alva

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.