Rede Voltaire

O Adrian Darya 1 acosta na Síria

+

A pedido dos Estados Unidos, o Grace 1 , um petroleiro iraniano arvorando bandeira do Panamá, foi arrestado ao largo de Gibraltar pela Royal Navy, em 4 de Julho de 2019. Segundo Washington, o petroleiro deslocava-se para a Síria em violação ao embargo ---ilegal pelo Direito Internacional--- da União Europeia.

A União Europeia tem o direito de proibir aos seus cidadãos e às suas empresas tudo o que lhe diz respeito, incluindo fornecer petróleo à Síria. Mas ela não tem o direito de interditar seja o que for aos não-membros da União Europeia. Apenas o Conselho de Segurança da ONU pode decidir sobre sanções mundiais.

No fim, após o Irão, numa medida de reciprocidade implícita, ter apreendido dois petroleiros britânicos no Golfo, o British Heritage e o Stena Impero, um magistrado da Coroa libertou (liberou-br) o navio iraniano. As autoridades iranianas libertaram o primeiro navio-tanque britânico e deverão libertar o segundo.

Durante as negociações, Teerão teria aceite o compromisso de não enviar o Grace 1 para a Síria. O responsável da luta contra o Irão no Departamento de Estado, Brian Hook, contactou o capitão do navio e tentou, em vão, comprá-lo.

No entanto, o Grace 1 mudou de nome. Tornou-se o Adrian Darya 1 ; nome sob o qual acaba de acostar tranquilamente em Tartous (Síria).

Tradução
Alva

Rede Voltaire

Voltaire, edição internacional

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.