Segundo com a Universidade de Stanford, após comparar as curvas de epidemia em 8 países que adotaram medidas autoritárias contra a Covid-19 (fecho de empresas, toque de recolher, confinamento) e 2 outros que se contentaram com aconselhamento à população, não há resultados significativamente diferentes nos dois grupos.

Os pesquisadores compararam os resultados na Alemanha, em Espanha, nos Estados Unidos, em França, no Irão, em Itália, na Holanda e no Reino Unido com os da Coreia do Sul e da Suécia.

Eles concluem:
«Embora não possam ser descartados pequenos benefícios, os decretos de confinamento obrigatório e fecho de empresas não parecem ter tido vantagens substanciais quanto ao crescimento de casos em 8 países nos estadios iniciais da pandemia. Reduções similares no crescimento de casos podem ser alcançados com mudanças de comportamento resultantes de intervenções menos restritivas».

Tradução
Alva

titre documents joints


EMPIRICAL ASSESSMENT OF MANDATORY STAY-AT-HOME AND BUSINESS CLOSURE EFFECTS ON THE SPREAD OF COVID-19

Eran Bendavid, Christopher Oh, Jay Bhattacharya, John P.A. Ioannidis, January 12, 2021.


(PDF - 815.8 kb)