O General Michael Flynn, antigo Conselheiro de Segurança Nacional do Presidente Donald Trump, parece ser o verdadeiro instigador da página de publicidade aparecida no Washington Times de 1 de Dezembro de 2020.

Esta tem a ver com um apelo de um grupo de Ohio, We the People Convention, apelando ao Presidente dos Estados Unidos para seguir o exemplo do seu mais ilustre predecessor, Abraham Lincoln.

Este último, durante a guerra civil, suspendeu a Constituição dos Estados Unidos, proclamou a lei marcial, fechou os jornais da oposição, mandou prender parlamentares e membros do Supremo Tribunal (Suprema Corte-br).

O Ohio era um estado Nortista durante a Guerra da Secessão. Abraham Lincoln é considerado pelos Democratas o melhor presidente da história.

We the People Convention e o General Michael Flynn apelam ao Presidente Donald Trump que faça o mesmo: suspender a Constituição, proclamar a lei marcial, fechar jornais da oposição e prender parlamentares e membros do Supremo Tribunal, por fim confiar a organização de novas eleições para as Forças Armadas. É, segundo eles, a única forma de evitar uma guerra civil.

O Presidente Trump decapitou o Pentágono [1], em 9 de Novembro de 2020, e substituiu a antiga equipe por amigos do General Flynn [2].

Tradução
Alva

[1] “Donald Trump não joga apenas golfe, ele purga o Pentágono”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 17 de Novembro de 2020.

[2] “O General Flynn, QAnon e as eleições dos EUA”, Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 1 de Dezembro de 2020.