Os amigos de John Podesta e Hillary Clinton tentam levantar uma polémica suplementar em torno do Conselheiro de Segurança Nacional do Presidente eleito Donald Trump, o General Michael Flynn.

Eles salientaram que o filho, e colaborador do general, Michael Flynn Jr., postou na sua conta do tweeter um reenvio para o nosso artigo «[A Reforma da Inteligência segundo o General Flynn-article194265.html]», publicado pela revista Contralínea (México). Nele Thierry Meyssan anuncia a intenção do Conselheiro de Segurança Nacional de por fim ao posto de Director de Inteligência Nacional, criado pelo antigo presidente George Bush. Ora, Donald Trump acaba de preencher essa função nomeando para tal o antigo senador Dan Coats. A equipa de Hillary Clinton pretende explorar o descontentamento do General Flynn, ao mesmo tempo para criar problemas no seio da nova Administração e para afastar Michael Flynn Jr [1].

PNG - 91.7 kb

Esta polémica visa também, provavelmente, apagar a questão do papel desempenhado pela pretensa «Inteligência» durante as administrações Bush e Obama e a reforma proposta pelo General Flynn.

Os autores desta campanha qualificam a Rede Voltaire de «pró-Putin», o que parece ser do ponto de vista deles um insulto.

Em busca de motivos para assustar os seus concidadãos eles parecem não ter lido um artigo precedente publicado, em editorial, no Al-Watan (Síria), «Michael T. Flynn e o Islão».

Sobre John Podesta e Hillary Clinton, leia-se : «Os e-mails de Hillary Clinton e a Confraria», por Thierry Meyssan, Tradução Alva, Rede Voltaire, 1 de Novembro de 2016.

Tradução
Alva

[1] “Disturbing report on Trump’s national security adviser emerges on pro-Putin website Gen. Flynn’s son suspected as source” («Relatório preocupante sobre Conselheiro de Segurança Nacional de Trump aparece em websítio Pró-Putin com o filho do Gen. Flynn como a fonte suspeita»- ndT), Aaron Rupar, Think Progress (Center for American Progress), January 17, 2017 .