Na reunião do Grupo Internacional de Apoio ao Líbano, o sub-secretário geral da ONU para os Assuntos Políticos, Jeffrey D. Feltman, substituiu o chefe da diplomacia americana(estadounidense-Br) John Kerry, quando este último teve que se ausentar por razões ligadas à gestão da crise ucraniana.

Isto indica que Feltman não se considera servidor público da ONU, mas sim um funcionário público dos Estados Unidos destacado na ONU. Outro indício disso é o facto de Feltman conservar, em Washington, as suas prerrogativas como secretário de Estado adjunto para o Médio Oriente, apesar das suas funções internacionais na ONU.

O sub-secretário geral da ONU para Assuntos Políticos é o segundo funcionário público em importância dentro da hierarquia da Organização das Nações Unidas, e supervisiona –pretensamente em nome da ONU– todas as negociações nas crises internacionais.

Numa conversa telefónica recentemente interceptada, e revelada através do YouTube, a sub-secretária de Estado adjunta, Victoria Nuland, garantia ao embaixador americano na Ucrânia que ela mesma se tinha assegurado, através de Jeffrey Feltman, que a ONU fosse representada na crise ucraniana por uma personalidade favorável às posições dos Estados Unidos [1].

Tradução
Alva

[1] «Conversación entre la secretaria de Estado adjunta y el embajador de Estados Unidos en Ucrania» (Conversa entre a secretária de Estado Adjunta e o embaixador dos Estados Unidos na Ucrânia-ndT), Oriental Review, Red Voltaire, 8 de febrero de 2014.