A Administração Trump prepara-se para tornar público o seu plano para o Médio-Oriente.

Os dois mentores do plano, Jared Kuschner e Jason Greenblat, preparam encarregados da missão em torno de três competências:
- consequências políticas e de segurança para o plano ;
- consequências económicas do plano ;
- comunicação estratégica.

Por seu lado, o Rei Salman da Arábia Saudita lembrou que o seu país mantêm as posições explicitadas na iniciativa de paz do Príncipe Abdullah, adoptada pela Liga Árabe em 2002 [1] ; uma precisão que foi interpretada como uma chamada à ordem dirigida ao seu filho, o Príncipe Mohamed bin Salman.

Por seu lado, o Presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, persiste em rejeitar, liminarmente, qualquer autoridade dos EUA para negociar seja o que fôr pelos Palestinianos depois de ter transferido a embaixada norte-americana para Jerusalém.

Tradução
Alva

[1] « L’Initiative de paix arabe présentée par le prince Abdullah bin Abdul-Aziz » («A iniciativa de paz apresentada pelo Príncipe Abdullah bin Abdul-Aziz»- ndT), Réseau Voltaire, 28 mars 2002.