Rede Voltaire

A Rússia pode afundar todos os porta-aviões dos EUA navegando a leste da Gronelândia

Num artigo precedente, Valentin Vasilescu havia demonstrado a impossibilidade para o Pentágono de montar um bloqueio anti-Russo no Mediterrâneo e, de uma maneira mais geral, de proceder a qualquer bloqueio naval, seja qual fôr, contra a Rússia. Prosseguindo o seu raciocínio, ele mostra hoje que os Estados Unidos já não têm a capacidade para conduzir uma guerra naval contra a Rússia a leste da Gronelândia. Moscovo já demonstrou a superioridade das suas armas terrestres, na Síria. Mesmo se, com cuidado, o confronto entre os dois Grandes foi evitado, hoje em dia está claro que a Rússia não teme mais um eventual ataque convencional dos EUA.

| Bucareste (Roménia)
+
JPEG - 35.3 kb

Os Estados Unidos tem uma posição geográfica isolada e possuem a força naval mais poderosa. Eles são capazes de intervir em qualquer parte do mundo. Um bloqueio imposto pelos Estados Unidos à Rússia no mar Negro e no Mediterrâneo, tal como declarou o Secretário do Interior, Ryan Zinke, em Pittsburgh, durante o evento Consumer Energy Alliance, é quase impossível, uma vez que os novos mísseis hipersónicos Kh-47M2 Kinzhal e 3M22 Zirkon podem neutralizar o grupo naval dos Estados Unidos a partir do Estreito de Gibraltar.

O Reino Unido anunciou que ia enviar 800 comandos para o Norte da Noruega para fazer face a uma possível «agressão» russa.

No meio da colocação de outras tropas suplementares da OTAN nos países Bálticos e na Polónia, a marinha norte-americana anunciou a reactivação da Segunda Frota, sete anos após a sua desactivação, com uma zona de intervenção no Norte, no Báltico e no Oceano Ártico.

O posto avançado de Kaliningrado, no Báltico, e o gasoducto Nord Stream são as principais vulnerabilidades da Rússia sobre o flanco leste da OTAN. Os Estados Unidos, apoiados pela OTAN, poderiam impôr um bloqueio naval contra a Rússia com a Segunda Frota no Atlântico, no mar Báltico e no Ártico ? Os porta-aviões não se arriscam no Ártico, já que podem ficar presos no gelo. Para as duas outras zonas, tal é possível, mas sem nenhuma chance de sucesso.

JPEG - 68.5 kb

A Rússia pode atacar o grupo naval que montasse o bloqueio, com mísseis hipersónicos contra navios de superfície, assim que estes entrassem no Estreito de Skagerrak (ligando o mar do Norte ao Báltico). Por outro lado, os submarinos russos de propulsão nuclear, armados de mísseis hipersónicos, podem atingir um grupo naval dos EUA logo que ele esteja a 1. 000 quilómetros da costa leste do Oceano Atlântico, ao Sul da Islândia. Os Russos podem igualmente lançar mísseis hipersónicos KH-47M2 transportados por bombardeiros de longo alcance, Tu-160 e Tu-23M3, se o grupo naval dos EUA chegar ao Sul da Gronelândia. Afim de evitar serem interceptados, a trajectória dos aviões passará por cima do Polo Norte.

JPEG - 63.4 kb

Quais são as chances de sobrevivência do grupo naval dos Estados Unidos? O tempo de reação do Pentágono em caso de ataque com mísseis hipersónicos é muito pequeno, tendo em vista a alta velocidade de movimento e o lapso de tempo mínimo necessário aos mísseis hipersónicos para entrar na zona de reação dos sistemas antiaéreos. O míssil Kinzhal tem um alcance de 2. 000 quilómetros, uma velocidade de 12.250 km/h e um tecto-limite de cruzeiro de 40.000 a 50.000 m, no máximo. O míssil Zirkon tem um alcance de 1. 000 km, uma velocidade de 9.800 km/h e um tecto-limite de cruzeiro de 40.000 m.

A probabilidade de destruir um porta-aviões com os dois tipos de mísseis hipersónicos, ultrapassando a defesa AA, é de 88%. Isto significa que, em 100 mísseis hipersónicos lançados, 88 ultrapassarão a defesa AA e destruirão os seus alvos. No caso dos Estados Unidos, se 11 mísseis russos hipersónicos forem lançados, contra os 11 porta-aviões dos EUA existentes, apenas 1,3 mísseis não atingiriam os alvos. Isso significa que restariam ao Pentágono apenas dois porta-aviões a flutuar, dos quais um danificado, após a primeira salva de mísseis hipersónicos russos. Para a frota norte-americana, isso significa uma catástrofe incomensurável.

Tradução
Alva

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).

Apoiar a Rede Voltaire

Utilizando este site poderá encontrar análises de elevada qualidade que o ajudarão a formar a sua compreensão do mundo. Para continuar com este trabalho necessitamos da sua colaboração.
Ajude-nos através de uma contribuição.

Como participar na Rede Voltaire?

Os participantes na rede são todos voluntários.
- Tradutores de nível profissional: pode participar na tradução de artigos.