De acordo com o Wall Street Journal de 14 de Outubro de 2020, centenas de «rebeldes sírios» estão partindo para o Azerbaijão. Cada um receberá um salário 7 a 10 vezes superior a seu salário médio na Síria [1].

Os rebeldes que partem asseguram querer servir a Turquia, que é o único país que ainda os ajuda.

A Turquia já transferiu 5.000 jiadistas da Síria para a Líbia e pelo menos 1.000 mais para o Azerbaijão. Várias dezenas deles foram já mortos no Artsaque (ou Artsakh- ndT), relatam os anúncios de falecimento em sites jiadistas.

A Rússia considera esse afluxo de jiadistas para sua área de influência como uma grande ameaça. O Ministro russo da Defesa, Serguei Shoigu, telefonou, em 13 de Outubro, para o Presidente Erdoğan a fim de o instar a se explicar.

Tradução
Alva

[1] “Hundreds of Syrian Rebels Join Armenia-Azerbaijan Fight”, Raja Abdurahim, Wall Street Journal, October 14, 2020.