Por fim, deve ser mesmo a NATO que irá dominar o mundo árabe após a retirada do CentCom (Comando Central dos EUA no Médio Oriente). A Alemanha poderia desempenhar um papel de liderança no seio da Aliança.

O Secretário Geral Jens Stoltenberg espera:
- 1. Instalar a Aliance na Tunisia e fazer durar, eternamente, a guerra na Líbia;
- 2. Instalar a Aliança no Iraque e na Jordânia e fazer durar, eternament,e a guerra na Síria.

Em 1 de Fevereiro de 2020, a Turquia aproximou-se, subitamente, da NATO, da qual é membro e entrou em conflito com a Rússia, na Síria. Também retomou a transferência dos jihadistas da Síria, para a Líbia, através da Tunísia.

Em 12 de Fevereiro de 2020, os Ministros da Defesa da NATO decidiram, inicialmente, intensificar a sua “missão de assistência” no Iraque, embora o Parlamento iraquiano tenha exigido a retirada das tropas estrangeiras.

Jens Stoltenberg prepara este plano há mais de seis meses. Assim, ele concluiu acordos secretos com o rei Abdullah da Jordânia (foto) e com o Ministro tunisino dos Negócios Estrangeiros, que recebeu, durante bastante tempo, em Bruxelas.

Tradução
Maria Luísa de Vasconcellos