O canal de Televisão huthi Al-Masirah, difundiu, em 16 de Março de 2021, a gravação de uma conversa entre o antigo Presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, e o então Director da CIA, George Tenet (foto), [1]. Este pedia com insistência a imediata libertação de um prisioneiro importante.

Segundo o Director-adjunto da Inteligência huthi, Abdul Qader Al-Shami, este prisioneiro não seria outro senão Anwar Al-Awlaki. Trata-se de um cidadão norte-americano que se tornou imã, tendo pregado no Reino Unido, antes de se tornar a figura carismática da Alcaida na Península Arábica. Ele foi acusado pelo FBI de ser o principal responsável pelo atentado ao USS Cole, em Outubro de 2000. Preso devido a isso, foi rapidamente libertado.

Em seguida, foi preso de novo, em 2006, pela sua suposta participação no rapto de um adido militar dos EUA. Foi então interrogado pelo FBI no Iémene e novamente libertado. Finalmente, foi liquidado pela CIA, em 30 de Setembro de 2011, à saída de de uma estadia com o presidente do partido político dos Irmãos Muçulmanos, Al-Islah.

De acordo com um documento desclassificado pelo FBI em 2013, a pedido da Judicial Watch, ao abrigo da FOIA, Anwar Al-Awlaki teria comprado três bilhetes de avião para pessoas acusadas de ser terroristas do 11-de-Setembro [2]. O FBI não deu seguimento a este achado.

Ignora-se a data exacta da entrevista telefónica que parece relacionar-se com a primeira prisão de Anwar Al-Awlaki.

Reagindo a esta divulgação, o Secretário-Geral do Hezbolla libanês (próximo aos Huthis), sayyed Hassan Nasrallah, denunciou uma vez mais, em 18 de Março de 2021, os Serviços Secretos dos EUA como sendo organizadores dos grupos terroristas Alcaida e Daesh (E.I.).

Tradução
Alva

Documentos anexados


(MP3 - 10.5 Mb)

[1] “Houthi official: CIA asked Yemen’s Saleh to release Al-Qaeda member”, Middle East Monitor, March 18, 2021.

[2] “Exclusive: Cleric may have booked pre-9/11 flights for hijackers, FBI documents show”, Catherine Herridge, Fox News, January 4, 2013.