O governo norueguês concedeu ao cientista nuclear israelita Mordehaï Vanunu o direito de se reunir à sua família na Noruega.

Cidadão israelita convertido ao cristianismo, Mordechaï Vanunu revelou ao Sunday Times, em 1986, os segredos do reactor atómico de Dimona e do programa militar nuclear do seu país. Então, ele foi sequestrado em Roma por ordem de Shimon Peres e transferido para Israel onde foi condenado a 18 anos de prisão.

Foi libertado em 2004, após a sua pena ter sido totalmente cumprida, incluindo 11 anos de isolamento total. Ele foi submetido a prisão domiciliar e a interdição de contacto com a imprensa. Conseguiu quebrar uma vintena de vezes essa restrição --- das quais uma vez com Silvia Cattori para a Rede Voltaire [1] --- e acabou condenado por cada uma delas.

Ninguém sabe se ele poderá ou não deixar Israel para ir para a Noruega.

Tradução
Alva

[1] “C’est parce qu’Israël détient la bombe atomique qu’il peut pratiquer sans crainte l’apartheid»,(«M. Vanunu : É por possuir a bomba atómica que Israel pode por em prática, sem temor, o apartheid»-ndT), por Silvia Cattori, Traduction Marcel Charbonnier, Réseau Voltaire, 14 octobre 2005.