Do ponto de vista histórico, os neo-conservadores eram um grupúsculo trotskista norte-americano reunido em torno da revista Commentary, que foi contratado pela CIA para lutar contra a URSS. Eles juntaram-se ao Partido Republicano e serviram os Presidentes Reagan e Bush-sénior

No entanto, voltaram-se contra Bush-sénior quando este se absteve de destruir o Iraque no decorrer da «Tempestade do Deserto». Eles juntaram-se, pois, à candidatura de Bill Clinton e do Partido Democrata.

Contudo, condenaram o Presidente Clinton quando este abrandou a guerra no Kosovo. Quando ele se atolava no escândalo Lewisnky, eles juntaram-se de novo ao Partido Republicano e prepararam a candidatura de Bush Júnior.

Com a constante mudança de “ventos”, os neo-conservadores acabam de publicar uma carta aberta contra a candidatura de Donald Trump [1]. Ao fazê-lo, eles preparam o regresso ao Partido Democrata se as pesquisas derem Hillary Clinton como vencedora.

Neste caso, a eleição presidencial teria a vantagem de clarificar a situação, aproximando oficialmente os neo-conservadores dos falcões liberais e revelando a liderança de Hillary Clinton sobre o conjunto do «Partido da guerra».

Tradução
Alva

[1] “Open Letter on Donald Trump from GOP National Security Leaders” («Carta Aberta a propósito de Donald Trump pelos peritos republicanos da segurança nacional»- ndT), Voltaire Network, 3 March 2016.