A delegação russa nas Nações Unidas informou que o Conselho de Segurança se negou a definir sua posição sobre o recente ataque contra a cidade síria de Kassab, demonstrando assim o respaldo de vários membros desse órgão da ONU às ações da al-Qaida.

A 21 de março de 2014 o exército turco penetrou em território sírio, afim de prestar apoio à entrada de várias centenas de jihadistas membros da Frente al-Nusra (publicamente afiliado à al-Qaida), e do Exército do Islã(Islão-Pt) (pró-saudita).

Esses elementos tomaram a cidade síria de Kassab cuja população se compõe, essencialmente, de sírio-arménios, descendentes do genocídio arménio de 1915 perpetrado pelos otomanos.

Quando o Exército Árabe Sírio interveio em defesa da cidade, as forças armadas da Turquia derrubaram um avião sírio que apoiava os soldados. Os habitantes de Kassab se refugiaram na vizinha cidade de Latakia, sob a proteção do Estado sírio.

Por outro lado, o ministério russo de Relações Exteriores (Negócios Estrangeiros-Pt) apelou aos representantes da oposição síria no exterior, que participaram em Genebra 2, a abster-se de todo contato com os grupos terroristas.

Tradução
Alva